domingo, 19 de janeiro de 2014

The Real Life Crisis

 Hoje no autocarro passei pelo estádio da Luz a cerca de meia hora do início do jogo.
 Como de costume estava uma enorme fila de adeptos a quererem entrar no parque do estacionamento e ainda mais já a entrar no estádio.
 Uma senhora que ia ao meu lado mandou logo o bitaite "Depois dizem que há crise!".
 Ora bem, por um lado eu percebo a perspectiva da senhora. A taxa de desemprego em Portugal é de 15,6%, o salário mínimo dá o poder de compra que dá e as coisas não estão fáceis para ninguém.
 Porém, salvo os casos em que acredito que umas aves raras sacrifiquem coisas mais importantes (saúde, alimentação, educação) para ir ao estádio todas as semanas, penso que não há mal nenhum disso.
 Eu não gosto nada de futebol. Sou do Benfica porque alguém decidiu que seria. Mas sei que há pessoas que vibram com aqueles 90 minutos de jogo e se for algo que as faça feliz e crie boas memórias porque não?
 E quem diz ir a um jogo de futebol também diz "fazer uma vaquinha" para ir ao cinema ver um bom filme ou comprar um bilhete para o concerto da nossa banda favorita. Levar as crianças ao jardim zoológico, a um teatro ou parque de diversões.
 Uma pessoa não é uma máquina que entra no modo de poupança e se sente na mesma. Se não comprometer coisas mais importantes acho que cada um deve aproveitar e ter uns certos "luxos" que o fazem feliz. Se forem imateriais como memórias e experiências melhor ainda!

Espero que tenham tido um óptimo fim de semana!

Cumprimentos,
A Marquesa.

2 comentários:

Ritinha disse...

Concordo contigo. Estamos em crise mas nada nos impede de fazer aquilo que gostamos. Se calhar grande parte daquelas pessoas abdicam de alguma coisa por aquilo.

Diogo Figueiredo disse...

I like the way you think little princess :)

Your master;
<3