segunda-feira, 27 de julho de 2015

Infantil

"És infantil", acusou o meu ex-namorado lá para o final daquela coisa a que ainda chamava namoro.
Eu, como miúda de 18 anos que era, cega de "amor" e com pouca ou nenhuma auto-estima levei aquilo a peito. Fiquei preocupada e perguntei-lhe o que poderia melhorar.
Ele queria que eu me vestisse de forma mais adulta, que usasse saltos altos, que me maquilhasse e não fizesse coisas/ brincadeiras tolas.
Nas semanas seguintes (até ele finalmente acabar comigo) esforcei-me ao máximo para apagar a infantilidade, mas sempre me pareceu que me estava a tentar passar por alguém que não era.

Pois bem, hoje com 22 anos só digo que adoro a minha faceta infantil. Sem ela, não seria eu.
É com ela que me divirto a fazer "prank calls" com os meus amigos do secundário, a brincar na piscina com as minhas amigas da faculdade ou a jogar às escondidas (mas discretas!) com o meu namorado nas lojas.
À medida que fui crescendo percebi que não devo esconder a minha infantilidade, apenas guardá-la para os momentos e pessoas certas.
Com esta história queria apenas dizer-vos: aceitem-se como são. O que para alguns é o vosso pior defeito para outros pode ser uma das melhores qualidades. Só precisam de encontrar as pessoas certas para vocês. 


Com muito amor,
A Marquesa

3 comentários:

Maria Francisca disse...

também me disseram muitas vezes que sou infantil, ou que era. mas eu não me ralo nada. se espontaneidade, sentido de humor e ver desenhos animados é sinónimo de infantilidade, então sou infantil and proud of it <3

Ava disse...

Ninguém deve tentar mudar-nos, tentar fazer com que sejamos outro alguém que não nós mesmas. Nada disso. É pura estupidez. Se ele não gostava de ti como eras, olha tinha bom remédio: seguia a vidinha dele sem ti, namorava com outra pessoa mais adulta! Eu também sou muito infantil... (no bom sentido da palavra) e vivo de uma forma despreocupada e divertida. Temos de aproveitar ao máximo a nossa energia, afinal de contas vamos envelhecendo e vamos perdendo a que temos! Há momentos para tudo... uns sérios e uns não-tão-sérios! :)

Diogo Figueiredo disse...

Sou o melhor a jogar às escondidas you'll never catch me!

Your master;
<3