terça-feira, 19 de abril de 2016

Biblioteca da Marquesa - Mataram a Cotovia (To Kill a Mockingbird)

Sou grande fã do Goodreads: adoro descobrir novos livros, dar opiniões sobre os que leio e ir vendo o que os meus amigos e autores favoritos andam a ler. Mas como é uma plataforma internacional, sinto-me na obrigação de escrever a minha opinião sobre um livro que acabei de ler em inglês, para todos os outros utilizadores a conseguirem ler.
 Safo-me a inglês, mas nunca me irei conseguir expressar tão bem quanto na minha língua materna, por isso decidi trazer ao blog as minhas opiniões sobre o que ando a ler.

Acabei de ler o "Mataram a Cotovia" no início deste ano, mas trago-o para iniciar esta rubrica porque não me foi indiferente.
 É um daqueles títulos que aparecem sempre nas listas de "100 livros que tem de ler antes de morrer", "Melhores clássicos de todos os tempos", etc. Desde algumas desilusões (vá, foi o Great Gatsby) que sempre que vejo um destes livros famosos na prateleira torço o nariz.
 Foi talvez com a notícia de lançarem a sequela, em que vi tanta gente entusiasmada, que a minha curiosidade aguçou.
 E logo nas primeiras páginas rendi-me.
 A personagem principal, Scout, é uma menina brincalhona, irreverente e ingénua, e o facto de a história se passar aos olhos dela dá um rumo completamente diferente ao livro, do que se a história fosse contada por alguém mais velho, habituado já às injustiças do mundo e que se subjugasse à moralidade da altura.
 Não é apenas um livro que demonstra o racismo de determinada época, mas sim um que nos leva a rever a nossa ética. Aquela voz da consciência, com que já nascemos e na qual sabemos o certo e o errado, mas que vamos calando à medida que crescemos para nos melhor adaptarmos à sociedade em que vivemos e não sermos chamados de inocentes e iludidos.
 Embora o tema principal seja pesado, o livro equilibra-se com as brincadeiras de Scout com o irmão Jem e o amigo Dill, o desespero da tia por Scout não ser uma menina reservada, bem-comportada e que gosta de usar vestidos, a vida das diferentes pessoas da pequena cidade e as histórias que cada uma tem para contar e ensinar.
 Porém, o melhor do livro é mesmo Atticus. É o pai de Scout e tem com os filhos uma relação de carinho incrível, assim como um carácter e um sentido de justiça invejáveis. É um autêntico herói e tomara que existam algures no mundo pessoas como ele.
 É um daqueles livros que daqui a uns anos quero voltar a reler e aconselho-vos, a sério.



Se já leram, o que acharam? Ficaram curiosos?


Desejo-vos uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

4 comentários:

K disse...

Curiosa, fiquei, e muito! Já estava a pensar em ler, mas agora não tenho dúvidas. Será o próximo a ser adquirido.

Diogo Figueiredo disse...

Damn, depois vejo contigo o filme se houver!

Your master;
<3

Tim disse...

também tenho na minha lista para comprar :X

Cat disse...

Ainda não li. Mas também adoro o Goodreads (e listas, adoro listas de tudo e mais alguma coisa!)). Agora estou a ler Homenagem à Catalunha do George Orwell.