domingo, 22 de maio de 2016

Mais um degrau

 Lembro-me enquanto caloira de nos ser colocado nas mãos o código de praxe. Entre as inúmeras páginas fiquei fascinada com aquela em que estavam listados os símbolos e seus significados.
 Um desses símbolos eram as escadas.
 Dizia lá que simbolizavam o percurso académico. Na nossa faculdade eram oferecidas a membros especialmente dedicados da comissão de praxe, pela comissão de veteranos.
 Na verdade eu própria sinto-me como se estivesse a subir uma escadaria nestes anos desde que entrei no curso.
 Os últimos degraus pareciam-me ser altíssimos e distantes quando comecei. 
Era uma aluna mediana, que só tinha assumido o curso que queria quase nos últimos momentos.
Quando a directora da faculdade e bastonária da OMV da altura fez o discurso de boas-vindas no meu primeiro dia, fiquei ainda mais nervosa. Ela dizia que Medicina Veterinária era um curso muito difícil, impossível de realizar se não estudássemos desde o primeiro dia.
 Eu que tinha pouquíssima ética de estudo pensei que nunca iria conseguir. Que estava a propor-me a algo superior às minhas capacidades.
 Mas na altura não sabia uma coisa. Não é só a dificuldade que aumenta: eu também consigo evoluir.
 Pensei que nunca conseguiria fazer aqueles relatórios de laboratório, mas consegui.
 Pensei que nunca conseguiria decorar todos os ossos dos vários animais, mas consegui (a maior parte pronto, cavalos é o que é).
 Pensei que nunca iria conseguir fazer aquele trabalho de grupo de 20 páginas no primeiro ano a biofísica, mas consegui.
 Pensei que nunca iria conseguir decorar raças de vacas e pelagens de cavalos, mas consegui.
 Pensei que nunca iria perceber a fisiologia de certas doenças, mas consegui.
 Pensei que nunca iria conseguir usar termos médicos difíceis de pronunciar, mas agora são a minha segunda língua.
 Pensei que nunca iria conseguir detectar certos sinais clínicos, mas agora é difícil não reparar.
 Pensei que nunca conseguiria responder com segurança a nenhuma das dúvidas de amigos meus, mas consegui.
 Pensei que nunca conseguiria colocar um catéter ou tirar sangue, mas já consegui.


Sem me aperceber, fui avançando e subindo. Alguns degraus mais altos que outros, mas até agora ainda não caí.
 A minha mãe sempre me disse "Catarina, já houve muita gente a conseguir e tu não deves em nada aos outros". 
E graças ao incentivo dos meus pais, colaboração dos meus amigos, apoio incondicional do meu namorado e sabedoria dos professores cá estou eu nos últimos degraus. A vista é soberba.


Desejo-vos uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

4 comentários:

Cláudia S. Reis disse...

E é tão bom quando olhamos para trás e vemos que nos conseguimos superar. Que saímos da faculdade boas profissionais e ainda melhores pessoas. Senti-me exactamente como tu no final do meu Mestrado. Ainda hoje sinto orgulho do meu percurso académico. Não mudaria nada.

Diogo Figueiredo disse...

Parabéns! Ninguém merece mais do que tu :)

Your master;
<3

Tim disse...

Parabéns!

Mariana disse...

Parabéns! Não consegui deixar de sorrir ao ler isto. Sou estudante de Medicina Veterinária (3º ano) e é impossível não me identificar com o que dizes :)